sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

O que me doí, de Fernando Pessoa

O que me dói não é
O que há no coração
Mas essas coisas lindas
Que nunca existirão...
São as formas sem forma
Que passam sem que a dor
As possa conhecer
Ou as sonhar o amor.

São como se a tristeza
Fosse árvore e, uma a uma,
Caíssem suas folhas
Entre o vestígio e a bruma.


Fernando Pessoa, escreveu em 05 de setembro de 1933)

Um comentário:

RONALDO DERLY RODRIGUES disse...

pensou que ia se livrar da gente né

estamos na área,muito linda esta poesia de pessoa,o que não é novidade hem,bom final de semana,aproveite,um abraço e tudo de bom,ronaldo.